Guarda Suíça Pontifícia celebra Jubileu

O Cardeal Secretário de Estado Pietro Parolin presidirá na tarde da quinta-feira (08/09), na Basílica Vaticana, o Jubileu dos Guardas Suíços Pontifícios e da Gendarmaria do Vaticano.

A Guarda Suíça Pontifícia é o nome dado ao pequeno exército responsável, desde 22 de janeiro de 1506, pela segurança do Papa. Atualmente a Guarda Suíça é composta por cinco oficiais, 26 sargentos e cabos e 78 soldados. É a única guarda do mundo cuja bandeira é alterada com cada novo chefe de Estado, por trazer o emblema pessoal do Papa.

O dia 6 de maio é a data de admissão de novos guardas. De fato, em 6 de maio deste ano, 23 novos recrutas prestaram juramento de fidelidade ao Papa, diante da bandeira. Eles prestam juramento  com a mão direita levantada e os três dedos do meio abertos, recordando a Santíssima Trindade.

Requisitos

Fazem parte do Corpo da Guarda Suíça apenas jovens provenientes da Suíça, católicos, com diploma profissional ou ensino médio concluído, de idade entre 18 e 30 anos. Os Guardas não são casados. Somente os cabos, sargentos e oficiais podem ser casados.

Antes de prestar serviço ao Papa, os jovens suíços devem realizar treinamento militar no exército suíço. O tempo previsto de serviço no Vaticano vai de dois anos, renováveis, até um máximo de 20.

O curioso uniforme da Guarda Suíça chama logo a atenção dos visitantes. O desenho da farda de cetim, nas cores azul-real, amarelo-ouro e vermelho-sangue é atribuído a Michelangelo.

A língua oficial da Guarda Suíça é o alemão. Seu lema é “Com coragem e fidelidade” e seus patronos são os Santos Martinho, Sebastião, Nicolau von Flüe, “defensor da Paz e Pai da Pátria”.

Fonte: Rádio Vaticano

Os comentários estão encerrados.