Papa se despede da Armênia: unidade, perdão e comunhão

O Papa encerrou sua Viagem Apostólica à Armênia na tarde de domingo, 26 de junho.

Uma peregrinação marcada pelo ecumenismo e pelo esforço de Roma e Armênia em caminharem juntas à plena união.

Desejo expresso pelo Papa mais de uma vez durante a permanência nas terras do primeiro país do mundo a acolher o Evangelho.

“No caminho rumo à unidade, somos chamados a ter a coragem de deixar as nossas convicções rígidas e os interesses próprios, em nome do amor de Cristo”, disse Francisco.

Mas a unidade entre Católicos e Apostólicos não é “‘submissão de um ao outro’, – sublinhou o Papa – nem absorção, mas um acolhimento de todos os dons que Deus deu a cada um”.

Francisco convidou o povo armênio a perdoar o genocídio perpetrado no início do século passado.

“Prestemos atenção aos anseios das gerações mais jovens, que pedem um futuro livre das divisões do passado. Que, deste lugar santo, se difunda novamente uma luz radiante! Que à luz da fé, que desde São Gregório Narek iluminou estas terras, se una a luz do amor, que perdoa e reconcilia”.

Fonte: Rádio Vaticano

Os comentários estão encerrados.